conteúdo do menu
conteúdo principal

NOTÍCIAS

16/06/2020

Vereadores debatem inclusão do Município na bandeira vermelha de distanciamento controlado

O Legislativo Municipal elaborou uma nota em que se posiciona contrário e se preocupa com a situação financeira dos empresários e moradores da cidade

COMPARTILHAR NOTÍCIA

A sessão ordinária do dia 15 de junho foi de importantes debates relacionados ao Município. O principal deles foi referente a situação da pandemia de coronavírus, que já assola o Brasil de forma mais intensa há três meses. No sábado, 13, o governo estadual comunicou que a região da Serra Gaúcha seria incluída na zona de bandeira vermelha de acordo com o modelo de distanciamento controlado elaborado pelo governo estadual. Isto significa que, para o Estado, há um alto risco de contaminação na região. Os vereadores se manifestaram contrários a inclusão e argumentaram seu posicionamento.

O vereador Nei Ambélio Schneider disse que a fome também mata e que os geradores de emprego e funcionários estão vivendo sob um clima de muita insegurança. “Ficar em casa é pra quem tem a vida ganha. E aquele que precisa ir em busca do sustento?”, questionou.

Em seguida o vereador Daniel Carlos Michaelsen disse que o Estado não fez a sua parte em organizar mais leitos de UTI e que os municípios fizeram a sua parte ao obedecer os protocolos necessários. “Não pode fechar o comércio. Temos que cuidar, mas o comércio não pode parar. Todas as vidas são importantes. Quantos empregos já foram perdidos? A vida sempre foi em primeiro lugar.”

João Paulo de Macedo Viana colocou que muitos empresários já fizeram investimentos para obedecer as normas sanitárias para que seus negócios pudessem continuar ativos no meio da pandemia e que esta parada seria prejudicial. “Sem ter internações e casos ativos, fomos colocados na bandeira vermelha. Não estamos desprezando a vida, a saúde também passa pela economia, está tudo interligado”, explicou.

O vereador Jorge Darlei Wolf disse que também não está confortável com a mudança da cor da bandeira e também que acredita que o governador toma as decições com base em estatísticas e números. “Conversamos com pessoas ligadas ao governo, expusemos a preocupação. Sou do comérico, dependemos da sobrevivência da nossa empresa. Queremos que o comércio daqui se dê bem. Também acho injusta a mudança e acho que deveria ter tido mais diálogo. Mas acho que o governador está convicto de sua decisão, é uma pessoa preparada e vai rever com certeza e vai dar uma resposta.”

O vereador Rafael Lüdke se manifestou preocupado com a mudança, que achou precipitada. “Acho que não podemos pagar o preço do que está acontecendo lá nas outras cidades. Nova Petrópolis fez o seu dever de casa até agora e esse é o prêmio que recebe. Na cabeça das pessoas isso não é positivo, podem retroceder com todo o cuidado tomado, gerar revolta”.

A vereadora Kátia Zummach disse que faltou fiscalização na cidade durante o feriadão, afirmou que observou muitas pessoas sem máscara e diversas outras que não obedeceram as regras de distanciamento. “Precisamos intensificar as ações na cidade, o alerta é que o vírus está circulando. É uma pandemia, o que mais me preocupou com a bandeira vermelha é que se não melhorar os indicadores, ela vai permanecer por mais tempo. Se cada um fizesse sua parte, talvez o vírus estivesse estabilizado.”

Carlos Simon disse que em outros municípios os fiscais exigem a máscara, mas o pessoal daqui não respeita.“Estamos há meses tendo que usar máscara e tem pessoas que ainda não usam. Se não nos cuidamos, isso ainda vai longe. Todos precisam cuidar, quanto mais nos protegermos, mais cedo vamos sair disso.”

 

Votação do relatório da CPI do Natal

Uma das votações mais importante da noite foi a do relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o Natal no Jardim da Serra Gaúcha de 2019. Todos os vereadores se posicionaram de forma favorável ao projeto. O presidente da CPI vereador Jorge Darlei Wolf agradeceu a todos que tornaram o trabalho possível e disse que o intuito não foi de julgar ninguém, apenas apurar os fatos. “Foi um trabalho minuncioso, demorado, a CPI não tem o intuito de julgar ninguém, temos que tirar nossas conclusões em cima das denúnicas e das pessoas que foram ouvidas aqui e aí encaminhar às pessoas que podem julgar. É para dar a oportunidade das pessoas que estavam sendo previamente julgadas de se defender.” O relatatório e a documentação reunida serão enviados aos órgãos competentes para que realizem a análise dos fatos.

 

Proposições apresentadas e aprovadas

Um projeto de lei e duas proposições foram aprovados. O projeto 026/2020 solicitou abertura de crédito especial para a aplicação de emendas parlamentares para o SUS. O valor é de R$ 100.000,00 e foi encaminhado pelo deputado estadual Elton Weber.

O pedido de providências 010/2020 também foi aprovado. Encaminhado pelo vereador Carlos Simon, solicita a pintura da faixa da rua Vicente Prieto, na localidade de Pinhal Alto, desde o entroncamento da ERS-235 até o final do asfalto. Já o pedido de providências 011/2020 foi encaminhado pelo vereador Rodrigo Santos solicitou a revogação do projeto de lei do legislativo 002/2020. O motivo é que os moradores não querem que a rua seja denominada e nem municipalizada. Uma reunião foi feita entre vereadores, Executivo e a comunidade local para definir a situação. “Foi pedido um documento com assinaturas explicando o motivo da revogação. A dúvida era se a rua era municipa, então fui informado de que é uma rua municipal sim”, disse o vereador Jerônimo. Rodrigo Santos disse que os moradores estão recolhendo as assinaturas para encaminhar à Prefeitura. “Os moradores não querem nome da rua, não querem que a rua seja municipalizada, nem manutenções.”

Já as proposições que foram apresentadas e que serão votadas na próxima sessão ordinária são os pedidos de informações 015/2020 e 016/2020. O primeiro foi encaminhado pela bancada do PSDB e solicita informações sobre o calendário municipal que orienta a implantação de calçadas públicas no Município. Já o pedido de informações 016/2020 deseja solicitar informações sobre as obras no loteamento Bratz que foram comentadas após a chegada de uma grande empresa do Município no local. 

Fonte: Câmara de Vereadores de Nova Petrópolis