conteúdo do menu
conteúdo principal

NOTÍCIAS

07/05/2020

Falta de água em Nova Petrópolis foi o foco da sessão na Câmara de Vereadores

Parlamentares afirmam que estão atuantes em busca de respostas e fazendo a sua parte

COMPARTILHAR NOTÍCIA

A sessão ordinária do dia quatro de maio teve, mais uma vez, como principal assunto a falta de água no Município. Durante o feriadão do Dia do Trabalhador, 1 de maio, a cidade ficou sem água, justamente no primeiro final de semana em que foi permitida a reabertura de hotéis e pousadas. O gerente da Corsan Sadi Zimmermann não compareceu à sessão, mas já recebeu um ofício com questionamentos dos vereadores.

            As falas dos vereadores foram pautadas pelas dúvidas dos motivos pelos quais nada foi feito antes de a situação ficar como está, o que a Corsan pretende fazer e como minimizar os impactos da estiagem, principalmente para os agricultores. O vereador João Paulo de Macedo Viana disse que esta falta de água não é só de agora e que todos os munícipes precisam estar conscientes do problema da estiagem. “Talvez tenha caído sobre esta legislatura dar respostas para a comunidade. O Sadi, gerente da Corsan em Nova Petrópolis, comentou do projeto de 25 milhões de reais que seria para captar água do Rio Caí. Mas será que é o suficiente, quanto tempo vai demorar, por que fazer só agora? ”, questionou. O vereador Daniel Michaelsen disse acreditar que é a pior seca vivida no Município. “Com certeza supera a seca de 2005. Algo tem tudo para dar certo agora que é a limpeza da barragem. Tem 6 a 7 metros de barro lá, imagina se os órgãos competentes liberassem para tirar esse barro. Sobre a água todo mundo deve se conscientizar, gastar só o necessário”.

A vereadora Kátia Zummach disse que falta transparência e que é preciso que alguém fale para a comunidade o que está acontecendo. “O que podemos tirar de lição disso? Várias cidades já têm leis que as novas construções precisam reutilizar água da chuva, está mais do que na hora de ver alguma forma de no futuro evitar que essa situação aconteça novamente”. O vereador Carlos Simon focou sua fala na utilização de água potável pela construção civil. “Poderiam retirar água de outros locais para usar na construção civil. A prefeitura poderia ceder um caminhão pipa para recolher água de outros lugares e não precisar usar água potável”. Jorge Darlei Wolf disse que é deprimente olhar para a represa seca. “Também venho batendo na tecla do uso da água na construção há muito tempo. Além de fazer coisas simples para tentar amenizar um pouco, temos que torcer pela chuva. Foi dada a garantia de que não faltaria água na cidade. Que os responsáveis tomem as providências para que a comunidade não sofra mais ainda e que nós, do Legislativo, não sejamos tão duramente criticados, porque cobramos e fazemos a nossa parte”. Nei Schneider disse que é necessário incluir no plano diretor reservatórios de água nas novas construções. “Temos alguns poços funcionando muito bem, em São José do Caí, dois poços talvez produziriam o suficiente para a cidade. Mas e os produtores? A questão da cadeia produtiva. A maioria dos produtores rurais tem o seu açude, só que tem mais de 400 municípios do RS em situação de emergência. A única alternativa para a cidade seria o Rio Caí”, disse.

Já o vereador Jerônimo Stahl Pinto disse se solidarizar com as pessoas que vivem da agricultura e parabenizou o trabalho do secretário de agricultura e meio ambiente Lucas da Costa de Lima. “Ele disse que está vivendo um caos para tentar amenizar a situação, apenas amenizar. Para tentar não deixar as pessoas e os animais das propriedades sem água. Temos que tomar atitudes mais enérgicas em relação à Corsan. O trabalho está deixando a desejar, falta investimento”. Rodrigo Santos disse que a situação é complexa e também parabenizou o secretário Lucas da Costa de Lima pelo trabalho. “A situação só não é pior pelo trabalho das associações de moradores que trabalham com o fornecimento de água”. O vereador Cláudio Gottschalk disse que “o pessoal está sofrendo muito com a falta de água, quem tem criação de porcos, aviários, gado. Vai muita água para manter as criações. Temos que torcer para que a chuva venha”. Ele ainda lembrou que o deputado federal Pompeo de Mattos enviou 100 mil reais para a área da saúde Nova Petrópolis em virtude da pandemia de Coronavírus. “Vim agradecer, pois mais uma vez ele lembrou do Município”. Por fim, o vereador Rafael Nienow Lüdke disse que a situação é crítica e que a única coisa que irá resolver o cenário atual é a vinda da chuva. “Temos que partir do pressuposto de que os recursos hídricos e financeiros são escassos. Temos que avaliar nossos hábitos no dia a dia. Não tem como colocar na cabeça como água tratada é usada na construção civil”. 

Fonte: Câmara de Vereadores de Nova Petrópolis